SINDIMACO Goiás conquista alteração de data para o ICMS e melhora fluxo de caixa das empresas

CAIADO E BAIOCCHI

Empresários e contadores festejaram a alteração de data de recolhimento das operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) em Goiás. Desde o dia 26 de abril o ICMS pode ser recolhido todo dia 10 de cada mês.

 A transferência no calendário atendeu pedido do SINDIMACO- Goiás e da Fecomércio junto ao governo estadual em rodadas de negociações. As solicitações do SINDIMACO foram entregues à secretária estadual de Economia, Cristiane Schmidt (leia mais no quadro), visando equilíbrio de contas e mais tempo para as empresas na organização de pagamentos de taxas. "Nossos pedidos desejam um ambiente de negócios com mais oportunidades, mais empregos, renda e arrecadação e estamos com a Fecomércio nessa missão", garantiu Irma Fernandes, presidente do Sindimaco.

O presidente da Fecomércio, Marcelo Baiocchi adiantou que o governador Ronaldo Caiado se mostrou aberto ao diálogo e delegou aos secretários que tratam das pautas econômicas, a tarefa de "achar equilíbrio e a aplicação" dos pedidos encaminhados, para que o empresário possa ter mais segurança de investir no estado".

Flexibilidade e fluxo de caixa

Para o setor contábil a mudança trouxe um novo fluxo de trabalho. O recolhimento que era feito no dia 5 trazia dificuldades às operações visto que na mesma data havia o fluxo da folha de pagamento de funcionários de empresas e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço- FGTS.

O acúmulo das obrigações trabalhistas e tributárias com o ICMS pesava muito para a saúde financeira de empresas, e em um curto espaço de tempo.

Segundo a presidente do Conselho Regional dos Contadores de Goiás, Sucena Hummel "reduziu a sobrecarga do fluxo de caixa, pois o não pagamento do ICMS não coincide com o pagamento da folha, e melhora o fluxo das rotinas de operações das empresas contábeis", finaliza.

O SINDIMACO Goiás continua na mesa de negociações com o governo do Estado com mais oito reivindicações. O trabalho de convencimento sobre a necessidades reais para o ambiente de negócios, está no âmbito do diálogo franco com o legislativo e o executivo.

Reivindicações do SINDIMACO ao Governo de Goiás

Substituição Tributária;

Fim do prazo de devolução de venda para aproveitamento de crédito de ICMS;

Alteração no prazo de recolhimento do ICMS;

Inclusão da alíquota de 12% para os produtos de siderurgia;

Criação da Cesta Básica da Construção;

Correção no cálculo do DIFAL para uso e consumo e imobilizado;

Introdução de crédito outorgado ao setor varejista, conforme a legislação aplicada em Mato Grosso;

Introdução do regime especial com encerramento de fase, conforme a legislação aplicada no Distrito Federal.